Post Thumb

Vorticidade Relativa:

É a vorticidade medida relativamente à Terra.

 

Vorticidade, é a tendência de um fluido de gerar vórtices. A vorticidade pode ser medida por meio da direção e velocidade do vento.

 

Para alguém que não seja um meteorologista, a vorticidade atmosférica é um conceito complexo. Primeiro é preciso saber que os vórtices atmosféricos podem ser ciclônicos (como os furacões e ciclones extratropicais) ou anticiclônicos (como no caso de um centro de alta pressão atmosférica de baixos nívies).

 

Em segundo lugar, é preciso saber que os vórtices ciclônicos:

- giram no mesmo sentido dos ponteiros de um relógio no Hemisfério Sul;

- giram no sentido contrário aos dos ponteiros de um relógio no Hemisfério Norte.

 

Por fim, saiba que os anticiclones giram nos sentidos opostos aos dos ciclones em ambos os hemisférios do planeta (por isso o uso do prefixo "anti").

 

Pronto, agora vamos ao conceito de vorticidade:

- A figura acima apresenta três casos de vorticidade (nesse caso, chamamos de vorticidade relativa). A cabeça do rapazinho da figura representa uma pequena parcela de ar (pense numa bola de ar). No primeiro caso da imagem, tem-se vorticidade relativa no sentido antihorário, chamada de vorticidade ciclônica no Hemisfério Norte (HN) e vorticidade anticiclônica no Hemisfério Sul (HS). O giro anticiclônico tem vorticidade com valor positivo no HS e negativo no HN.

No segundo caso da figura acima, não ocorre giro da parcela do ar. Portanto, não há vorticidade relativa, ou seja, o valor da vorticidade é 0 (zero)!

No terceiro caso, tem-se vorticidade relativa no sentido horário, chamado de vorticidade anticiclônica no Hemisfério Norte e de vorticidade ciclônica no Hemisfério Sul. Mais abaixo apresentamos o que isto produz nos fenômenos giratórios na atmosfera.

 

Em resumo, para giros horários, a vorticidade relativa é menor do que zero (negativa) e, para giros antihorários, a vorticidade relativa é positiva (isso vale em ambos os hemisférios).

Observações importantes quanto à física associada à vorticidade relativa:

- Quanto maior o valor da vorticidade, mais intensos são os ciclones e anticiclones, ou seja, mais fortes são os ventos desses fenômenos atmosféricos "girantes".

- O Termo vorticidade ciclônica refere-se ao giro ciclônico em qualquer dos dois hemisférios terrestres. Assim, os ciclones de grande escala que causam ventos e precipitação intensa possuem altos valores de vorticidade relativa associados.

- Furacões são ciclones tropicais (ou seja, ocorrem, em geral, na região entre as linhas dos Trópicos de Câncer e Capricórnio). Em média, os furacões têm diâmetro de 2.000 km de uma borda a outra

- Ciclones subtropicais e extratropicais, que têm diâmetro maiores que o dos furacões, mas são menos intensos e produzem ventos mais fracos e menores quantidades de chuva, formam-se além das linhas dos Trópicos (em latitudes maiores do que 23.5 graus no HN e menores do que -23.5 graus, no HS).

Portanto, no Hemisfério Sul, todos os ciclones de grande escala giram no sentido horário e têm vorticidade relativa menor que zero. Os ciclones dessa grande escala, também chamada de escala sinótica, estão associados com ventos e chuvas.

Por outro lado, os anticiclones estão associados com ventos mais calmos e céu aberto. Na estação de inverno de cada hemisfério, os anticiclones estão associados com massas de ar frio de origem polar, que penetram para latitudes mais baixas (ou seja, no sentido polos para o equador terrestre), e fazem baixar as temperaturas nas áreas por onde passam.

Fonte da figura: Instituto Oceanográfico da USP</>